Arquivo da tag: eu acho

LIFE IN A DAY(A VIDA EM UM DIA)

Padrão

a capa é linda e admito que ela me convenceu primeiro

Existem certas coisas com as quais a gente esbarra acidentalmente,se impressiona e acha que tem que tentar passar isso adiante para mais gente também ser beneficiada com a surpresa de algo maravilhoso.Eu sei que é um início de post bem clichê,mas é o que melhor descreve o que eu senti no exato  momento no qual eu acabei de ver Life in a Day.Eu esbarrei com o filme fuchicando no tumblr um projeto de 365(sou louca pra fazer um desses,mas esse tópico não é pra hoje), aonde ele estava listado em filmes favoritos da pessoa em questão.Fiquei curiosa por nunca ter ouvido falar dele(aquelas que estranha tudo o que nunca ouviu falar)e me apaixonei pela fotografia nas imagens da capa.Fui catar o trailer no youtube,vi e agora estou aqui!

Então,indo direto ao filme,”LIFE IN A DAY” é um documentário produzido por Riddley Scott.Ele surgiu de uma proposta, principalmente aos usuários do youtube,de mandar um vídeo retratando um dia de sua vida(24/07/2010)e responder a algumas perguntas simples.O resultado disso?Cerca de 80 mil clipes,ou 4,5 mil horas de vídeo oriundas de mais de 100 países condensadas mais ou menos em 1:30 de documentário com o objetivo de mostrar para as geracões futuras o que era viver no planeta Terra exatamente nessa data.

Eu não entendo nada de cinema(meus gêneros preferido são ação e aventura,mas assisto um pouco de comédia e romance ocasionalmente)e menos ainda de crítica do mesmo,mas ainda gosto da coisa e,como qualquer um,posso sentir quando acabei de ver algo interessante sem ser massante(o que é alguma coisa já que,como eu disse,adoro uma ação)e tocante sem ser dramático(também é alguma coisa,uma vez que eu detesto um drama em qualquer lugar chata,tá falando com ela).Resumindo,acho que sei dizer quando acabei de ver algo realmente de qualidade.

Algumas pessoas acham que para conseguir um bom documentário é preciso se focar em um assunto denso e complexo,como por exemplo a Revolução Russa(assunto que eu já detesto,em documentário então…).Eu discordo e LIFE IN A DAY é o melhor exemplo.Uma coisa que ele faz muito bem é explorar os aspectos bem simples,que justamente por serem cotidianos não vemos mais beleza neles.E situações bem densas,como é o caso do pai oriental criando o filho sozinho,ou de outro pai, viúvo,criando cerca de 6 filhos sem energia,água ou saneamento básico(fato,fico sensibilizada com histórias de pais solteiros) e ele  consegue falar que ainda é está vivo e Deus não se esqueceu dele.É uma lição de fé para qualquer um.

Outro aspecto importante é que LFE IN A DAY te aproxima mais dos seres humanos de um jeito estranho. Porque você é completamente diferente daquela pessoa cuja cena da rotina está sendo retratada, você não tem noção de quem ela é e nem de aonde exatamente ela está,o que proporciona um grande distanciamento entre os dois.Mas,ao mesmo tempo, com toda a naturalidade da película,composta pelo modo como cenas divergentes são sobrepostas umas sobre as outras,pela música de fundo intocável e pela edição que fez um trabalho de primeira(eu acho),nasce em cada um que vê o vídeo um sentimento de conhecimento daquele que está sendo retratado,de compreensão e profunda identificação com quem ele é e o porque está aqui.É uma sensação contraditória,quase como se fosse capaz de sentir exatamente como é estar ali,com os pés na água fria se balançando num banco pendurado nas árvores,ou então a sensação angustiante de se declarar seu amor pra melhor amiga e receber um não como resposta,mas sabe que nada disso é real pra você,porque não é a sua vida.

Eu poderia falar desse documentário por páginas,mas o parágrafo anterior já foi grande o bastante e estou tendo problemas para descrever exatamente o que se sente quando se está vendo sem ser contraditória.Não sei dizer uma parte favorita ou melhor que as outras,mas quando aparece o pai viúvo cujo qual eu já mencionei e foca no olhar forte, expressivo,profundo e indescritível de uma de suas filhas é de arrepiar.Sim,é lindo,é tocante,não há uma parte que eu não goste ou ache que esteja no lugar errado e,principalmente, traz uma grande percepção sobre os problemas ao seu redor e tudo que está acontecendo em tão pouco tempo e você não faz a menor diferença nisso tudo.É perturbador,mas não há nada mais incrível do que essa consciência.

Anúncios